domingo, 30 de janeiro de 2011

IBAMA Faz Novas Apreensões de Pássaros em Feiras-Livres da Grande João Pessoa

IBAMA, Polícia Ambiental e Polícia Militar fazem apreensões de aves em feiras-livres da Grande João Pessoa.Dando continuidade à Operação Via Apia, que objetiva coibir a manutenção de animais silvestres em cativeiro, sem a devida autorização, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis na Paraíba (IBAMA-PB), com apoio da Polícia Ambiental e da Polícia Militar, realizou neste domingo (30), mais uma vez, ação fiscalizatória nas feiras-livres de Oitizeiro e de Bayeux, na Grande João Pessoa.

Aves apreendidas em feiras-livres da Grande João Pessoa.Durante a operação foram apreendidas 64 aves silvestres, bem como diversas gaiolas e armadilhas utilizadas para o cometimento de ilícitos ambientais. As aves apreendidas foram caboclinho, canário da terra, azulão, sibito, galo-de-campina, bico-de-lacre, papa-capim, coleiro, sabiá, sanhaçu. Todas as aves foram depositadas no Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do IBAMA-PB, onde serão vermifugadas, passarão por uma quarentena e serão reabilitadas para fazerem parte de programas de reintrodução de animais silvestres que estão sendo conduzidos pelo CETAS.

O Superintendente do Ibama-PB Ronilson Paz participou da operação.De acordo com o superintendente do IBAMA na Paraíba, Ronilson José da Paz, que participou da operação, houve uma redução do número de animais apreendidos nas feiras. "Na semana passada, foram apreendidas 220 aves e hoje 64, com uma redução de quase 60% do número de animais apreendidos, mostrando que a ação do IBAMA está surtindo efeito", concluiu.

Curió apreendido pelo Ibama-PBAlém dessas aves, também foi apreendido um curió anilhado, em poder de um criador amador de passeriforme, que estava dentro de um restaurante próximo à feira de Oitizeiro, contrariando as recentes normas sobre a criação de aves silvestres.

De acordo com o superintendente do IBAMA na Paraíba, Ronilson José da Paz, embora o criador tenha autorização para criar o curió, as novas normas em vigor proíbem a exposição de animais anilhados em estabelecimentos comerciais, a não ser em lojas para a venda desses animais, previamente autorizadas pelo IBAMA. "Foram realizados os procedimentos de praxe e foi deixado do animal com o criador, como fiel depositário, até o caso ser completamente apurado", concluiu.

Postar um comentário