terça-feira, 29 de março de 2011

Parque Arqueológico Itacoatiara do Ingá é tema de audiência no Ministério Público Federal

Atendendo ao convite da Procuradoria da República no Município de Campina Grande, o superintendente do IBAMA na Paraíba, o Analista Ambiental Ronilson José da Paz, participou de audiência no dia 29 de março, para discutir a preservação e conservação do Parque Arqueológico Itacoatiara do Ingá, localizado no Município de Ingá-PB.

Com a presença do Ministério Público Estadual de Ingá, do Prefeitura Municipal de Ingá, através do Prefeito, Procurador e Secretaria Adjunda de Turismo e Desporto, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Procuradoria Geral do Estado e Superintendência do IBAMA na Paraíba, foram discutidas as ações que estão sendo executadas por cada ente, visando a execução do projeto que implementará o Parque Arqueológico Itacoatiara do Ingá, que terá cerca de 32 hectares.

A pedra de Ingá, ou itacoatiara, é formada por blocos de gnaisse divididos em três paineis, tendo o bloco principal com dimensão de 24 metros de comprimento por 3,8 m de altura. Há muitos sulcos e pontos capsulares seqüenciados, ordenados, que lembram constelações, embarcações, serpentes, fetos e variados animais, todas parecendo o modo que os indígenas ou os visitantes de outras latitudes tinham para anunciar ideias ou registrar fatos e lendas, que apresenta um grande potencial turístico e cultural, entretanto explorado de maneira extremamente irregular.

Pedra de Ingá.
Mundialmente famosa, a Pedra de Ingá estimula a imaginação de quem a conhece.

No final da audiência, o Procurador da República editou recomendações para cada ente público presente. Para o IBAMA-PB ficou o compromisso de analisar o projeto executivo para a implantação do Parque Arqueológico Itacoatiara do Ingá, em conjunto com o IPHAN, bem como a fiscalização da área, à luz da Lei dos Crimes Ambientais (Lei no 9.605/1998).


Postar um comentário