sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Horário de verão termina à meia-noite deste sábado para domingo

Horário de verão termina e os relógios devem ser
atrasados uma hora, nos estados que foram
atingidos pela medida.
A 42ª edição do Horário de Verão termina à meia-noite de domingo (17). Com isso, no início da madrugada de sábado (16) para domingo, moradores dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Distrito Federal, que adotaram o horário de verão, por força do Decreto nº 7.826/2012, terão de atrasar em uma hora os seus relógios.

Leia também


Este horário de verão 2012/2013, que começou em 21 de outubro de 2012, teve 88 dias, com o objetivo de aproveitar os dias mais longos do verão, com mais tempo de luz solar, para economizar energia. 

O horário de verão é um importante instrumento
para a redução do consumo de energia.
Esta medida para a economia de energia foi criada através do Decreto nº 20.466/1931, que estabeleceu a hora de economia de luz no verão em todo o territorio brasileiro. Desde 2008, o horário de verão se inicia no terceiro domingo de outubro e vai até o terceiro domingo de fevereiro, mas quando houver coincidência entre o domingo de carnaval e o término do horário de verão, o encerramento dar-se-á no domingo seguinte.

De acordo com o balanço divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), com término marcado para a meia-noite do próximo sábado (16), o horário de verão economizou 2.477 megawatts (MW) no período de pico (entre 18h e 21h) nos estados em que foi implementado. Isso equivale a 4,5% da demanda máxima nos três subsistemas onde a mudança de horário vigorou.

Em nota, o diretor-geral do ONS informou que, dos 2.477 MW economizados, 1.858 MW foram no Subsistema Sudeste/Centro-Oeste; 610 MW no Subsistema Sul; e 9 MW no Subsistema Norte (onde apenas o Estado do Tocantins adotou o horário de verão).

A redução obtida no primeiro subsistema equivale a aproximadamente 55% da carga consumida durante o horário de pico da Cidade do Rio de Janeiro, onde vivem 6,4 milhões de pessoas, ou duas vezes a carga no horário de pico de Brasília, que tem 2,6 milhões de moradores.

A economia verificada no Subsistema Sul equivale a 75% da carga no horário de pico de Curitiba (com 1,8 milhão de habitantes), e a obtida no Subsistema Norte, a 10% da carga no horário de ponta da Cidade de Palmas (228 mil habitantes), informou a nota do ONS.

Com a implantação do horário de verão, a segurança operacional do sistema elétrico nacional é beneficiada graças à diminuição dos carregamentos na rede de transmissão. Segundo o governo, a mudança do horário possibilita também uma melhor manutenção de equipamentos e a redução de cortes de carga em situações emergenciais, além de favorecer a recuperação dos reservatórios das hidrelétricas.

Para obter maiores informações sobre a redução verificada na demanda por estado, consulte o portal do ONS.

Postar um comentário