sábado, 6 de julho de 2013

Cochonilha-do-Carmim é detectada em Nova Palmeira/PB

O professor Frederico Pereira, professor do Instituto Federal de Educação Tecnológica da Paraíba, campus de Picuí/PB, chama a atenção para a presença da cochonilha-do-carmim parasitando palma-forrageira cultivada na região.


Leia também
 
Plantação de palma-forrageira infestada pela cochonilha-do-carmim,
em Nova Palmeira/PB. Foto: Fred Pereira.
   
A cochonilha-do-carmim (Dactylopius coccus) é um inseto originário do México, que mede entre 3 e 5 milímetros de comprimento, geralmente de cor marrom ou amarela, que se alimenta parasitando a seiva da palma, matando a planta rapidamente.
A cochonilha-do-carmim. Foto:Internet.
Para o combate da cochonilha-do-carmim, o professor Daniel Duarte, professor da Universidade Federal da Paraíba, recomenda o uso alternado de sabão em pó (500 g para 20 L), detergente neutro (500 mL para 20 L), ACC (200 mL para 20 L), calda de pereiro (um punhado de casca dos ramos terminais para 2 L de água, deixar por dois dias e depois completar para 20 L) e emulsão de sabão com querosene (que tem várias formulações), esta última parece não se adequar à proposta agroecológica juntamente com o sabão e o detergente, mas são eficientes e de baixo impacto ambiental, se houver, e econômico.
De acordo com a metodologia recomendada pelo professor Daniel Duarte, deve-se primeiro arrancar uma fileira sim e outra não, ou podar uma fileira sim e outra não para facilitar o trânsito com o pulverizador. Recomendando também pulverizações semanais até reduzir a população. Depois pode-se reduzir para pulverizações quinzenais e mensais.
Outra solução é o plantio da palma do tipo orelha de elefante, que foi desenvolvida pela Emepa (Empresa Estadual de Pesquisa da Paraíba) e é resistente à cochonilha-do-carmim, que é distribuída pelo Governo do Estado da Paraíba.
Esta praga já causou mais de R$ 500 milhões em prejuízos só na Paraíba. O ataque também causa problemas para os pequenos criadores que contam com a planta para alimentar os rebanhos no período de seca.

Postar um comentário