quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Registrada a ocorrência do mexilhão-dourado na Bacia do Rio São Francisco

Mexilhões-dourados encontrados em tanque-redes no
Reservatório de Sobradinho, na divisa Bahia/Pernambuco.
Em outubro de 2015, equipe do Centro de Bioengenharia de Espécies Invasoras (CBEI) confirmaram a presença do mexilhão-dourado (Limnoperna fortunei) no Baixo-Médio Rio São Francisco, mais precisamente no Reservatório de Sobradinho, na divisa dos Estados da Bahia e Pernambuco, na Caatinga Brasileira. Foram encontradas larvas e adultos no reservatório, indicando que o mexilhão já está bem estabelecido na região.

A Caatinga Brasileira é uma região extremamente seca, e por isso, grandes projetos de captação de água estão em andamento, tais como o eixo norte do canal de transposição do Rio São Francisco, a aproximadamente 150 km do Reservatório de Sobradinho. A equipe do Centro de Bioengenharia de Espécies Invasoras (CBEI) também coletou indivíduos e larvas de mexilhão-dourado na entrada do eixo norte do canal de transposição do São Francisco.
 

Confirmada a presença do mexilhão-dourado na Bacia do Rio São Francisco.

Desde a sua chegada na América do Sul (Argentina, 1990), o mexilhão-dourado (Limnoperna fortunei) tem se estabelecido em diversas regiões do Brasil, causando inúmeros problemas ecológicos e econômicos nas regiões invadidas. Sabe-se que o mexilhão-dourado encontra-se bem estabelecido em diversas áreas que vão da foz do rio da Prata, na Argentina, até o Pantanal e Triângulo Mineiro, regiões limítrofes da Bacia do Paraná.

Diante deste quadro, está sendo organizado  II Fórum sobre os Impactos Ambientais e Econômicos de Espécies Invasoras: o avanço do mexilhão-dourado, que será realizado no dia 25 de novembro de 2015, no Centro de Inovação e Tecnologia SENAI-FIEMG - Campus CETEC, Belo Horizonte.


Postar um comentário