quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Pterossauro pode ser encontrado em Campina Grande

No período de 18 de janeiro a 8 de fevereiro de 2013 estará exposto à exibição, no Museu de Arte Assis Chateaubriand (MAAC), em Campina Grande-PB, o esqueleto de pterossauro (Imaginary Pterosaur), uma réplica em tamanho real do Guidraco venator,  produzido com material de baixo custo e inédito, próprio para exibições científicas e didáticas.

Leia também


The Imaginary Pterosaur. Foto: Helder da Rocha.

Os pterossauros (do latim científico Pteurosauria) constituem uma ordem extinta da Classe Reptilia (ou Sauropsida), que corresponde aos répteis voadores do período Mesozóico. O grupo surgiu no Triássico Superior e desapareceu na extinção K-T, há 65 milhões de anos. Os primeiros pterossauros tinham mandíbulas cheias de dentes e uma cauda longa, enquanto que as espécies do Cretáceo quase não possuíam dentes numa mandíbula que parecia um bico e a cauda estava bastante reduzida. Alguns dos melhores fósseis de pteurossauros vêm do planalto de Araripe no Brasil.

De acordo com o Biólogo Paleontologista Hebert Campos, a ideia e criação da exibição é do paleoartista (artista que retrata temas ligados à Paleontologia) é do paraibano Helder da Rocha, que irá exibir o modelo em maio no Rio de Janeiro, durante o Simpósio Internacional sobre Pterossauros, que ocorre a cada três anos, em alguma cidade do mundo.

O horário da exposição é 14:00 às 17:00 h, de segunda à sexta-feira, no Museu de Artes Assis Chateuabriand (FURNE, Av. Floriano Peixoto, bem no centro de Campina Grande).

Para mais informações sobre o Imaginary Pterosaur clicar aqui.


Postar um comentário