sábado, 3 de dezembro de 2011

APAN-PB participa de conselho na Bahia visando à recuperação e à conservação da Mata Atlântica

A Associação Paraibana dos Amigos da Natureza - APAN foi convidada pelo Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá) para integrar o Comitê Gestor do Plano Municipal de Recuperação e Conservação da Mata Atlântica da Bahia, que promoveu, no dia 2 de dezembro, a Oficina de Diagnóstico do Plano no Município de Ilhéus.

A solenidade de abertura contou com a presença do coordenador do Gambá, Renato Cunha, do presidente do Conselho de Defesa do Meio Ambiente do Município de Ilhéus (Condema), José Nazal, do Secretário do Meio Ambiente de Ilhéus, Harildon Ferreira, da Coordenadora Geral da Rede de Ongs pela Mata Atlântica (RMA), Ivy Wiens, além de Socorro Fernandes, Coordenadora da RMA (Região Nordeste) e membro da diretoria da Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (Apan), bem como de consultores e vários representantes de entidades da sociedade civil.

Este é o prosseguimento das ações do Gambá, com o intuito de implantar o Projeto de Capacitação e Implementação de Planos Municipais de Conservação e Recuperação de Mata Atlântica no Nordeste, que teve início em julho deste ano.

O Plano Municipal de Recuperação e Conservação da Mata Atlântica é um instrumento criado pela Lei nº 11.428/2006 (Lei da Mata Atlântica), que visa a ordenar ações para o uso sustentável dos recursos naturais presentes neste bioma, através do aproveitamento de suas potencialidades na área de turismo, agroecologia, extrativismo, coleta de sementes, entre outros, bem como promover a conectividade das áreas conservadas e em recuperação, além de apontar áreas já degradadas que possam ser utilizadas por empreendimentos que venham gerar o desflorestamento deste importante bioma.

De acordo com a ambientalista Socorro Fernandes, que representa a APAN neste Conselho Gestor, o convite do Gambá para a APAN compor este importante instrumento de conservação da Mata Atlântica e o reconhecimento das lutas empreendidas pela Ong nos seus mais de 30 anos de existência. "A participação da APAN neste Conselho também é importante porque poderemos compartilhar experiências e assim será possível uma melhor articulação para proteger este Bioma que desde o descobrimento é negligenciado pelo Poder Público", concluiu.


Marcelo Roncato (Consultor), Renato Cunha (coordenador do Gambá),
Ivy Wiens (Coordenadora Geral da Rede de Ongs pela Mata Atlântica) e
Socorro Fernandes (Membro da APAN).


Postar um comentário