segunda-feira, 4 de junho de 2012

Dia Mundial do Meio Ambiente 2012 é marcado por protestos na Paraíba

Em todo mundo,  no 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. Na Paraíba, a data será marcada por reflexões, debates e atos que denunciam as agressões ao meio ambiente e aos povos tradicionais como indígenas, ribeirinhos e quilombolas.
 
Leia também
 
A programação será iniciada por um seminário com o tema "A Cúpula dos Povos e o Meio Ambiente na Paraíba", a partir das 8:30 h, no Diretório Central dos Estudantes (DCE), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).
Além de serem abordados os temas mais globais em sintonia com a Cúpula dos Povos, que acontecerá em paralelo à Rio+20, o seminário tratará dos principais problemas ambientais do Estado da Paraíba, divididos em 5 eixos temáticos: 1- Mobilidade Urbana, 2- Recursos Hídricos, 3- Terra, 4 - Mineração, e 5- Energia. De acordo com Ronildo Ferreira da Assembleia Popular, "será o momento de encararmos o debate sobre o meio ambiente não como algo distante ou individualizado, como às vezes tem acontecido, e sim como algo diretamente ligado às nossas vidas e de responsabilidades das grandes empresas, como no caso do uso abusivo de agrotóxicos".
 
Após o seminário, às 13:00 h, os participantes sairão em caravana até o Município de Alhandra-PB, onde farão um ato em solidariedade ao Povo Tabajara, que desde 2005 luta pela demarcação de suas terras. Lá os participante serão chamados a dançar um toré em defesa das matas e rios que estão sob ameaça em função da construção de uma fábrica de cimento.
Estas ações em homenagem ao Dia Mundial do Meio Ambiente, que são organizadas por movimentos sociais populares, universidade, sindicatos, ONG's, com a participação especial dos índios Tabajaras, fazem parte dos atos que ocorrem em todo mundo em protesto à Rio+20 que, segundo a ambientalista Socorro Fernandes, da Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (APAN), "não dará espaço para propostas da sociedade, é uma reunião dos principais chefes de Estado de todo mundo, que discutirão governança e capitalismo verde, por isso que faremos a Cúpula dos Povos em paralelo a essa farsa ambiental, e as ações no dia 5 de junho como forma de preparação de nosso ânimo para as lutas que virão".
 
 
Postar um comentário