quarta-feira, 6 de junho de 2012

João Pessoa é assombrada pela Poluição Sonora

A poluição sonora sempre foi uma questão emblemática na Paraíba. Já em meados de 1995, a Folha de S. Paulo publica matéria atribuindo à capital paraibana a alcunha de "Capital do Barulho". Esta publicação teve como referência uma página de Internet localizada na extinta Geocities (um serviço de hospedagem de sites do portal Starmedia, popular na década de 1990).

Após este tempo (17 anos), parece que este apelido ainda merece ser atribuído à Cidade de João Pessoa, não obstante as ações realizadas pelos Ministério Público Estadual e os órgãos de controle ambiental.
 
Em João Pessoa, no período de 1º de janeiro a 9 de setembro de 2011, dos 309 autos de infração aplicados pela equipe da Divisão de Fiscalização (DIFI), da Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa (SEMAM), cerca de 53% foram por poluição sonora. Em 2012, o número de reclamações aumentou mais de 30%.

Paredão utilizado em competições. Foto: Internet.
As regiões que agrupam mais denúncias são Mangabeira (58%), Valentina (9%) e a Orla Marítima (Bessa, Cabo Branco e Manaíra). O equipamento mais usado pelos infratores são os paredões, concentrando 41% dos casos, seguido pelo som residencial (32%).O infrator está sujeito a uma multa que varia de R$ 200 a R$ 5 mil, mas se houver reincidência, esses valores dobram ou triplicam, além da apreensão do equipamento.
 
A poluição sonora pode causar vários efeitos negativos aoorganismo, como distúrbios do sono, estresse, irritação, perda de capacidade auditiva, surdez, dores de cabeça, alergias, distúrbios digestivos, falta de concentração e aumento do batimento cardíaco.

Casos de denúncias de poluição sonora também estão sendo registrados nos Municípios de Dona Inês, Itabaiana, Campina Grande, Conde e Patos.

Em João Pessoa, para denunciar casos de poluição sonora as pessoas devem ligar para a SEMAM através dos telefones 0800 281 9208 ou (83) 3218-9208. O atendimento é 24 horas. As informações repassadas pelas denunciantes são mantidos em sigilo e os fiscais vão até o local verificar o caso e desligar o aparelhos emissor de ruídos ou até apreender o equipamento, se for o caso.

Postar um comentário