quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Outra tartaruga-verde foi encontrada morta na orla da Paraíba

Mais uma tartaruga-verde (Chelonia mydas) foi encontrada morta na orla da Paraíba, nesta quarta-feira (8). Desta vez  uma tartaruga-verde jovem, com cerca de cinco anos, foi encontrada na Praia do Bessa, João Pessoa-PB, nas proximidades do Iate Clube da Paraíba.

Leia também

Tartaruga-verde encontrada morta na Praia do Bessa.

De acordo com a autópsia realizada pela Bióloga Dra. Rita Mascarenha, coordenadora do Projeto Tartarugas Urbanas, executado pela Associação Guajiru, que monitora as tartarugas-marinhas na orla da Paraíba há 10 anos, o animal ficou preso numa rede de pesca, não conseguindo voltar à superfície para respirar, morrendo por asfixia.


A Bióloga Rita Mascarenhas, realizando a autópsia
do animal

Numa rápida caminhada na Praia do Bessa, onde a tartaruga-verde foi encontrada morta, foram recolhidos vários objetos plásticos deixados pelos banhistas e vendedores na praia, que poderiam ser engolidos pelas tartarugas, ocasionando mais mortes. Inclusive, em um dos objetos recolhidos, havia a nítida marca de mordida de tartaruga-marinha.

Objeto plástico encontrado na Paria do Bessa, com marca
de mortida de tartaruga-marinha.

Esses objetos são facilmente confundidos com alimentos pelas tartarugas e, quando ingeridos, provocam injúrias em seu tubo digestório, que, invariavelmente, ocassionam a morte do animal.


Os objetos plásticos são confundidos com os alimentos
das tartarugas-marinhas. Imagem: Internet.
Ainda de acordo com a Bióloga Dra. Rita Mascarenhas, a maior incidência do registro de mortes de tartaruga-verde nas praias da Paraíba pode ser porque esses animais procuram as áreas de arrecifes de corais da Paraíba para alimentarem-se.

Durante todo o ano de 2012 já foram encontradas cerca de 30 tartarugas-verdes mortas no litoral da Paraíba, sendo 20 encontradas apenas no mês de janeiro. Durante esses 10 anos de monitoramento das tartarugas-marinhas no litoral da Paraíba pela Associação Guajiru, mais de 800 animais foram encontrados mortos.
Para a Bióloga Dra. Rita Mascarenhas, campanhas de educação ambiental que orientem os banhistas e a população de um modo geral a terem maior cuidado com a disposição do lixo nas praias, contribuiriam grandemente para a diminuição da mortalidade dessas tartarugas, que se encontram em estado crítico de conservação.

Postar um comentário