segunda-feira, 26 de março de 2012

ICMBio aprova novos Planos para a Conservação da Biodiversidade

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio, por meio de três portarias, publicadas hoje (26) no Diário Oficial da União, aprovou Planos de Ação Nacional para a Conservação da Biodiversidade relativos à onça parda (Puma concolor), primatas do Nordeste e aves da Caatinga.
 
Leia também
 
O Plano de Ação Nacional para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção (PAN) é uma ferramenta de gestão para conservação da biodiversidade, baseada no planejamento para a conservação, onde se pactua com a sociedade (poluidores, consumidores e protetores) e o Poder Público, a responsabilidade por ações que efetivamente possam proteger a espécie atuando sobre as ameaças que as levem à extinção. 

A Portaria ICMBio nº 36, de 23 de março de 2012, aprovou o Plano de Ação Nacional para Conservação da Onça-parda - PAN Onça-Parda, que tem como objetivo geral reduzir a vulnerabilidade da onça-parda (Puma concolor), ampliando a proteção dos hábitats adequados, o conhecimento aplicado à sua conservação e reduzindo conflitos com atividades antrópicas, especialmente nos biomas Mata Atlântica, Cerrado, Pantanal e Caatinga, em cinco anos.
 
A espécie Puma concolor foi contemplada no PAN Onça-Parda, aprovado pela
Portaria nº 36/2012. Foto: Internet.
Caberá ao Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (CENAP) a coordenação do PAN Onça-Parda, com a supervisão da Coordenação Geral de Manejo para Conservação (CGESP/ICMBio), da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Manejo da Biodiversidade (DIBIO/ICMBio).
 
A Portaria ICMBio nº 37, de 23 de março de 2012, aprovou o Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Primatas do Nordeste - PAN Primatas do Nordeste, que tem como objetivo geral garantir pelo menos cinco populações viáveis para cada espécie-alvo do PAN, em diferentes ecossistemas, aumentando a área e a conectividade dos hábitats dessas espécies e dirimindo os conflitos socioambientais nas áreas de ocorrência, até 2016.

O PAN Primatas do Nordeste abrange cinco espécies ameaçadas de extinção, Cebus flavius, Cebus xanthosternos, Callicebus coimbrai, Callicebus barbarabrownae e a população nordestina de Alouatta belzebul.
 
A espécie Alouatta belzebul foi contemplada no PAN Primatas do Nordeste, aprovado
pela Portaria ICMBio nº 37/2012. Foto: Internet.
 
Caberá ao Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros (CPB) a coordenação do PAN Primatas do Nordeste, com supervisão da Coordenação Geral de Manejo para Conservação (CGESP/ICMBio), da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (DIBIO/ICMBio).

A Portaria ICMBio nº 38, de 23 de março de 2012, aprovou o Plano de Ação Nacional para Conservação das Aves Ameaçadas de Extinção da Caatinga - PAN Aves da Caatinga, que reduzir a perda e alteração de habitat, a pressão de caça, o tráfico e manter ou incrementar as populações das espécies alvo deste PAN ao longo das áreas de distribuição, nos próximos cinco anos.

A espécie Penelope jacucaca foi contemplada no PAN Aves da Caatinga, aprovado pela
Portaria ICMBio nº 38/2012. Foto: Internet.

O PAN Aves da Caatinga abrange 14 táxons ameaçados de extinção, Augastes lumachella, Crypturellus noctivagus zabele, Formicivora grantsaui, Formicivora iheringi, Hemitriccus mirandae, Lepidocolaptes wagleri, Penelope jacucaca, Phylloscartes beckeri, Phylloscartes roquettei, Pyrrhura griseipectus, Rhopornis ardesiacus, Sclerurus scansor cearensis, Scytalopus diamantinensis e Xiphocolaptes falcirostris.

Caberá ao Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres - CEMAVE a coordenação do PAN Aves da Caatinga, com supervisão da Coordenação Geral de Manejo para Conservação (CGESP/ICMBio), da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (DIBIO/ICMBio).

Postar um comentário