sábado, 21 de janeiro de 2012

Doenças infectocontagiosas podem atingir moradores de áreas afetadas por enchentes

Moradores de áreas atingidas por enchentes não sofrem só com perdas materiais e, às vezes, humanas. Mesmo depois de trégua no clima chuvoso, vem o risco de contrair doenças infectocontagiosas como a leptospirose, hepatite A, tétano, diarreia aguda, vírus e parasitas, além de febre tifoide. 
 
A diretora da Vigilância Sanitária Estadual de São Paulo, Maria Cristina Megid, lista uma série de recomendações que podem evitar a contaminação por microorganismos que tendem a proliferar em situações como alagamentos.

O uso de botas e luvas de borracha quando não houver como evitar o contato com a água da enchente é uma dessas recomendações, além de tentar não manusear objetos sujos de lama. "Se não tiver bota e luva, a pessoa pode colocar dois sacos plásticos nas mãos e pés. Também é melhor não estar na água de bermuda e sim de calça, além de não deixar que as crianças brinquem nessa água".

A médica também recomenda que alimentos e medicamentos que tenha tido contato com as águas da enchente, mesmo que fechados ou embalados, sejam jogados no lixo. Como aumenta a dificuldade de encontrar água potável em cidades atingidas por enchentes, a orientação é ferver a água de beber por um minuto e adicionar duas gotas de hipoclorito de sódio para cada 2,5 litros de água.

Alguns cuidados são necessários na limpeza da casa e dos utensílios domésticos. Além de usar a proteção nas mãos e pés, conforme reforçou Maria Cristina, na limpeza dos ambientes, é recomendável usar escova, sabão e água limpa para a retirada da lama. Já no caso dos utensílios domésticos, depois de serem lavados com água e sabão, devem ser mergulhados por uma hora em uma solução desinfetante, composta de um copo de 200 mililitros (ml) de água sanitária e quatro copos de água. A solução também pode ser usada nos pisos, paredes, móveis e outros objetos, mas, nesse caso, a proporção da mistura é de 200 ml de água sanitária para um balde de 20 litros de água.

Os sintomas de algumas das doenças mais comuns que podem ser provocadas pela contaminação das águas das enchentes podem demorar 30 dias para aparecer. É o caso da leptospirose, causada por uma bactéria encontrada na urina do rato e que pode entrar pela pele humana, levando até à morte. Os sintomas podem ser confundidos com os da gripe e a recomendação de Maria Cristina é que as pessoas de áreas afetadas por enchentes fiquem atentas no caso de apresentarem febre, dor muscular, náuseas e dor de cabeça. "Nesse caso, será preciso procurar um médico imediatamente e relatar que teve contato com alagamentos", disse.

Flávia Albuquerque
Repórter da Agência Brasil
Postar um comentário